sábado, 13 de abril de 2013

Humildade 04de05

“Comer mel demais não é bom, nem é honroso buscar a própria honra. Como a cidade com seus muros derrubados, assim é quem não sabe dominar-se.” (Pv 25.27-28)

Os privilégios geralmente acompanham a liderança bem-sucedida. Muitos líderes gostam de estar no controle, de tomar decisões que influenciam a organização inteira, de delegar a implementação de suas decisões, de ocupar uma sala de canto ou no topo do prédio, de “dar as cartas”, de ver que os outros demonstram respeito por eles nas reuniões e de coisas semelhantes. A ascensão quase sempre sobe também à cabeça.

Como líder, o rei Salomão desfrutou de todas essas vantagens e muito mais. Como poucos lideres antes ou depois dele, possuía riquezas, poder, sabedoria e servos à vontade. Governantes viajavam grandes distâncias para ouvir sua sabedoria, e outros empreendedores vinham maravilhar-se com suas riquezas. Mas, dessa posição elevada, Salomão adverte-nos de que “nem é honroso buscar a própria honra”. Fazer isso é comer mel demais. Mesmo que seja doce e muito saudável quando ingerido em porções adequadas, o excesso de coisas boas o deixará doente – e enjoado.

A honra acompanha o trabalho bem feito. Se o líder for eficiente, receberá toda a honra que é capaz de suportar. Mas quem precisa buscar honra está com a mão na colméia errada. Salomão aprendeu que o esmero na realização de um trabalho é o caminho para conquistar a honra. Concentrar a atenção na honra prejudica o bom uso do tempo e da energia necessários para um trabalho bem feito.

O que você escolhe: a espiral ascendente ou a espiral descendente? Não é “honroso buscar a própria honra”. Fazer isso tornará você uma pessoa doente.

Em Cristo,
Itamar Carrijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário