segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Livro 32 - Jonas

Autor:   Jonas.
Época:  Cerca de 785 a 760 a.C.
Local:   Mar Mediterrâneo e a cidade de Nínive.

Este livro difere dos demais livros proféticos, porque tem como principal enfoque a história do profeta, e não as profecias em si. Na verdade, apenas um versículo traz o resumo da mensagem de Deus ao povo de Nínive (03.04). Portanto, este livro é uma narrativa histórica. O episódio verídico em que Jonas foi engolido pelo grande peixe foi mencionado por Jesus como uma alegoria de Sua morte e ressurreição (Mt 12.38-42).

No livro de Jonas conta-se a história de um profeta desobediente e sem compaixão. Deus mandou que ele fosse pregar em Nínive, a capital do grande império da Assíria, nação inimiga mortal do povo de Israel. Mas Jonas não foi anunciar a mensagem de Deus naquela cidade. Ele sabia que os seus moradores poderiam se arrepender dos seus pecados, e assim Deus não cumpriria a promessa de destruir a cidade.

Jonas resistiu ao chamado de Deus para profetizar contra a capital do império inimigo de Israel, temendo que a cidade se arrependesse e que Deus demonstrasse graça àquele povo. Sejamos gratos a Deus pelo fato de Sua misericórdia transcender nossos preconceitos e as fronteiras nacionais.

Jonas desobedeceu, foi castigado e, finalmente, acabou obedecendo. E ficou profundamente desapontado quando viu que as suas ameaças de destruição não se cumpriram.

Este livro mostra que Deus domina o mundo inteiro: o céu, o mar, a terra, animais, os seres humanos. Ele é também Deus de amor e compaixão, sempre pronto a perdoar e a salvar tanto as pessoas que fazem parte do povo de Israel como as que são de outras nações.

Esboço:
Jonas foge de Deus - cap. 01
A oração de Jonas - cap. 02
Jonas em Nínive - cap. 03
A raiva de Jonas e a misericórdia de Deus - cap. 04

Personagens a destacar:

Jonas – Permitiu que a raiva e o preconceito lhe obscurecessem a visão e o incitassem à desobediência, mas Deus concedeu a esse profeta relutante a oportunidade de se arrepender – no interior da barriga de um grande peixe. Observe que tudo e todos no livro de Jonas (a tempestade, o sorteio, os marinheiros, o grande peixe, o povo de Nínive, a videira, o verme e o vento do leste) obedecem à ordem de Deus, exceto o profeta.

O Rei de Nínive – Era um líder cruel e idólatra de um povo orgulhoso e desumano. Famoso pelos castigos terríveis aplicados a inimigos conquistados, o rei de Nínive ainda assim agiu com sabedoria ao ouvir as palavras do profeta de uma nação inimiga e conduziu seu povo ao arrependimento, livrando-o da destruição.

Em Cristo,
Itamar Carrijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário