quarta-feira, 29 de junho de 2011

Personagens Bíblicos: 024 - Saul


SAUL

Saul, o primeiro rei de Israel, começou bem. Encaixava-se no tipo de líder militar (1SM 09.02). Teve uma experiência profunda com o profeta de Deus, e isso valeu-lhe a reputação de homem sábio e temente a Deus (1SM 10.09-13). Em seguida, recebeu o crédito por uma série de impressionantes vitórias militares, o que ajudou a consolidar a confiança de Israel em sua liderança (1SM caps.11-14). E, talvez o mais importante, ele fora ungido por Samuel, o maior profeta e juiz de Israel.

No entanto, logo os problemas surgiram. Em duas ocasiões, desobedeceu a Deus de forma descarada e recebeu a notícia de que Deus o rejeitara como rei (1SM 13.13, 14; 15.26). Saul foi afetado com essa informação e, não muito tempo depois do segundo incidente, mudou radicalmente o foco de sua vida.

A mudança ocorreu logo após a vitória de Davi sobre Golias. Enquanto marchavam de volta para casa, as tropas de Saul passaram por cidades em que mulheres, segundo o costume, cantavam as glórias do exército. Dessa vez, porém, o cântico das mulheres fez soar uma nota desagradável ao ouvido do rei (1SM 18.07, 8). O foco de Saul mudou naquele instante: “Daí em diante Saul olhava com inveja para Davi” (v. 09). Então ele deixou de conduzir Israel. Sua preocupação agora era evitar que o trono fosse tomado por Davi. Os capítulos restantes de 1Samuel registram a trágica obsessão de Saul em perseguir e matar Davi.

Quando o líder, sentindo-se ameaçado, investe toda a energia na guerra pelo poder, a organização inteira sofre. As suspeitas de Saul estão registradas nos versículos de 10 a 16. Uma amostra de suas trapalhadas ilustra quanto Saul se desviara do caminho e como sua liderança se tornou ineficiente. Nos versículos de 20 a 30, lemos que ele usou as próprias filhas como isca para apanhar Davi em uma armadilha. Ele chegou até mesmo a ordenar que seu filho Jônatas matasse Davi (caps. 19 e 20). Jônatas argumentou com o pai, e Saul acusou o filho de deslealdade, tentando matá-lo também (1SM 20.30-34). Por fim, Saul ordenou o assassínio de uma família inteira de sacerdotes que involuntariamente haviam ajudado Davi (caps. 21 e 22). Sem dúvida, Saul estava fora de controle!

Em vez de liderar, Saul brincava de “rei da montanha” com alguém que nem queria a montanha dele. Saul e sua família sofreram. Davi e sua família sofreram. Toda a nação sofreu. Os únicos que lucraram foram os inimigos de Israel. Que tragédia quando o líder canaliza seus recursos para a autopreservação, em vez de utilizá-los na liderança!

Em Cristo,
Itamar Carrijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário