segunda-feira, 25 de abril de 2011

Livro 23 - Isaías

Autor:   Isaías.
Época:  Cerca de 742 a 680 a.C.
Local:   Jerusalém.

Grandes homens jamais sacrificam a obediência a Deus para alcançar favor ou sucesso político.

Isaías, um dos maiores profetas do Antigo Testamento, anunciou as suas mensagens ao povo do Reino de Judá e aos moradores da cidade de Jerusalém entre 742 e 680 antes de Cristo.

Este livro esplêndido e abrangente é considerado uma “Bíblia em miniatura”. Os primeiros 39 capítulos de Isaías correspondem, ainda que de forma inexata, aos 39 livros do Antigo Testamento, porque condenam o pecado e destacam o juízo. Os últimos 27 capítulos correspondem aos 27 livros do Novo Testamento, pois anunciam consolo e esperança na pessoa do Messias prometido.

Os temas principais das mensagens do profeta são o poder do Deus de Israel sobre todas as coisas e a sua santidade perfeita. O livro de Isaías pode ser dividido em três partes:

1. Os capítulos 01-39 falam do tempo em que Judá, o Reino do Sul, está sendo ameaçado pela Assíria. O profeta insiste em que os maiores perigos que a nação corre e que podem levá-la ao desastre são o pecado, a desobediência e a falta de fé em Deus. Com palavras e por meio de atos simbólicos, o profeta faz um apelo ao povo e às autoridades do país para que vivam uma vida de honestidade e de justiça. Isaías anuncia a futura vinda de um descendente de Davi, que será o rei ideal, e fala de uma época de paz e de prosperidade para o mundo inteiro.

2. Os capítulos 40-55 falam de um povo que tem sofrido a desgraça e que está fora do seu país, humilhado, explorado e sem esperança. É nessas condições que o profeta anuncia a libertação dos israelitas, garantindo que Deus os trará de volta do cativeiro para que possam começar um vida nova na terra de Israel. Assim Deus se mostra o Deus da História, aquEle que tem um plano para o Seu povo, O qual terá a missão de ser uma bênção para todas as nações da terra. As passagens a respeito do "Servo do Deus Eterno" estão entre as mais conhecidas do Antigo Testamento.

3. Os capítulos 56-66 trazem, na sua maior parte, conselhos para aqueles que já haviam voltado do cativeiro para Jerusalém. Deus aconselha que eles vivam uma vida de honestidade e de justiça e insiste em que respeitem o sábado, que se dediquem à oração e que Lhe apresentem os sacrifícios que Ele exige. Os versículos um e dois do capítulo sessenta e um foram usados por Jesus, no princípio do Seu ministério, para anunciar a Sua missão no mundo (ver Lucas 04.16-21).

Esboço:
Avisos e promessas - caps. 01-12
O castigo das nações - caps. 13-23
Deus julga o mundo - caps. 24-27
Mais avisos e promessas - caps. 28-35
O rei Ezequias, de Judá, e os assírios - caps. 36-39
Mensagens de promessas e de esperança - caps. 40-55
Avisos e promessas - caps. 56-66

Personagens a destacar:

Isaías – É considerado um dos maiores profetas da Bíblia. Motivado por uma visão inesquecível de Deus, pregava a mensagem do perdão que ele mesmo havia experimentado. Ao longo de seu ministério, proclamou o juízo divino e também palavras de esperança a pessoas que raramente lhe davam ouvidos.

O Messias – No livro de Isaías, incorpora todas as qualidades de um líder bem-sucedido. Tendo a obediência a Deus como sua maior prioridade, conduzirá o povo à renovação do compromisso. Apaixonado pela justiça, trará a paz ao povo. E, com o sacrifício de Si mesmo, garantirá a salvação de Seu povo.

Ezequias – Rei de Judá, eliminou a adoração a ídolos pagãos, purificou o templo e estimulou a obediência pessoal à lei de Deus. Mas as reformas espirituais que promoveu duraram pouco. Despreocupado com o futuro, nunca fez planos para mantê-las vivas.

Em Cristo,
Itamar Carrijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário