segunda-feira, 28 de março de 2011

Personagens Bíblicos: 018 - Gideão


GIDEÃO

Em Juízes 06, lemos a história de um homem comum que seguia a Deus. Gideão viveu na época dos juízes de Israel (c. 1300 a.C.), durante a qual “os israelitas fizeram o que o Senhor reprova” (06.01). A opressão midianita era tão severa e cruel que muitos israelitas, para fugir do inimigo, se mudaram para as cavernas nas montanhas (v. 02-06).

Deus precisava de um homem para libertar Seu povo. Ninguém que conhecesse Gideão diria que seria ele esse homem. Aliás, nem ele mesmo acreditava nisso (v. 15)! A narrativa está construída em torno da necessidade de convencer Gideão.

E Gideão de fato precisou ser convencido. O teste da lã foi parte do processo que Deus usou para assegurá-lo da sinceridade dos propósitos divinos. Duas vezes Gideão pediu um milagre a Deus, para ter certeza de que Deus cumpriria Suas promessas. Mas Gideão precisava de outras confirmações, assim Deus corroborou Seu plano mais duas vezes (07.07,09). Após três milagres e seis declarações de reforço ao chamado de Deus, Gideão ainda estava cético. Por fim, Deus mandou-o ao acampamento midianita onde ele, protegido pela escuridão, ouviu um soldado contando a outro o que sonhara (07.10-14). Ainda acanhado, Gideão aceitou a missão, cumprindo-a com muito vigor. Ele corajosamente derrotou os midianitas e enfrentou seus conterrâneos rebeldes (07.15-08.21).

Gideão, em certo sentido, é como qualquer um de nós. Deus comissionou-o – assim como nos comissiona – a viver de maneira digna de um servo do Senhor. Alguns estudiosos consideram evidência de fraqueza a necessidade que Gideão tinha de confirmação. Mas será que não temos, todos nós, dúvidas e questionamentos diante das grandes decisões da vida? Oramos e pedimos ajuda a Deus, mas depois duvidamos da sinceridade de Suas promessas de auxílio. Oramos pela direção de Deus, mas depois hesitamos em confiar na direção dEle. Gideão, no entanto, era sincero quanto às suas dúvidas. Ele encarou seus temores questionando e lutando contra o que o atormentava. E foi bem-sucedido, porque foi convencido por Deus. A pessoa convencida por Deus pode ser usada por Ele.

Gideão ensina-nos a lidar com nossas dúvidas quanto à promessas de auxílio divino. Nem sempre teremos autorização para testar a Deus, como Gideão fez, mas temos à disposição muitos meios que nos permitem conhecer Sua vontade: ler a Bíblia; orar pela direção de Deus; falar com alguém da liderança da igreja; participar de um grupo de estudo bíblico; ler boa literatura como Cristianismo puro e simples, de C. S. Lewis, ou Decepcionado com Deus, de Philip Yancey.

Gideão tinha dúvidas, e isso não o torna diferente de nós. Mas ele tratou da própria incredulidade e tornou-se um líder eficiente. Por que negar a necessidade de convencimento? A pessoa convencida por Deus está apta a ser usada por Ele. E a pessoa comum usada por Deus pode realizar feitos extraordinários para Ele.

Em Cristo,
Itamar Carrijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário