quinta-feira, 31 de março de 2011

Livro 17 - Ester


Autor:   Um judeu da Pérsia.
Época:  483 - 473 a.C.
Local:   Pérsia.

Quem é temente a Deus compreende a verdade de que Deus está no controle das circunstâncias e que o Senhor tem os melhores objetivos para Seu povo.

O livro de Ester nos dá uma idéia da vida da grande maioria de judeus que decidiu ficar na Pérsia, em vez de voltar à sua terra natal. É uma história cheia de suspense, ironia e vários personagens heróicos correndo riscos. Ainda que o nome de Deus não seja mencionado uma única vez em todo o livro, percebe-se Sua mão providencial protegendo e preservando Seu povo no cativeiro.

Este livro conta a história de Ester, a moça judia que se torna rainha por causa do seu casamento com Xerxes, rei da Pérsia.

Hamã, o primeiro ministro do reino, planeja acabar com todos os judeus do reino, mas Ester e o seu primo Mordecai conseguem fazer fracassar o plano perverso de Hamã, e ele acaba morrendo na forca que havia mandado construir para enforcar Mordecai.

Para festejarem a sua vitória contra os seus inimigos, os judeus começaram a comemorar a Festa de Purim, o que fazem até hoje.

Esboço:
Ester se torna rainha - caps. 01-02
Hamã planeja a morte dos judeus - caps. 03-05
Hamã é denunciado e morto - caps. 06-07
Os judeus acabam com os seus inimigos - 08.01-09.19
A Festa de Purim - 09.20-10.03

Personagens a destacar:

Xerxes – Foi um dos últimos reis da Pérsia. Embora fosse filho de Dario, o Grande, o crédito que dispensava a conselheiros não confiáveis levou-o a tomar decisões equivocadas. Sua liderança vacilante resultou em grandes derrotas militares. Morreu assassinado, e o seu reino foi conquistado por Alexandre, o Grande.

Ester – A beleza de Ester conquistou-lhe elevada posição na corte do rei, mas sua coragem e seu caráter lhe deram um lugar de honra na história bíblica. Disposta a ouvir conselhos e a proceder de acordo com eles, colocou as necessidades de seu povo acima da preocupação com o próprio bem-estar.

Hamã – Segundo na hierarquia real, valeu-se de sua autoridade para controlar e manipular os que estavam à sua volta. Movido pelo orgulho e pela sensação de importância, acabou destruído pelo próprio ódio.

Em Cristo,
Itamar Carrijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário