sexta-feira, 19 de março de 2010

Personagens Bíblicos: 007 - Isaque


ISAQUE

Isaque, como todos nós, era movido por seus valores. Isaque buscava o que Isaque queria. Seu pai, Abraão, com certeza lhe havia mostrado o exemplo de seguir a Deus, e Isaque não podia ter deixado de notar. Gênesis 22 conta a história: "Abraão amarrou seu único filho e colocou-o sobre o altar para o sacrifício". As pessoas tendem a lembrar eventos como esse. Abraão já estava com a faca suspensa acima do filho quando Deus interrompeu o processo. Isaque desempenhou um papel importante nesse evento, mas talvez não tenha compreendido a lição que seu pai estava aprendendo  a completa obediência a Deus.

Depois que também teve filhos, Isaque recusou-se a fazer o que Deus lhe ordenara. Quando Esaú e Jacó nasceram, Deus determinou: "O mais velho, servirá ao mais novo". (GN 25:23). Com essa declaração, Deus estava instruindo Isaque a dar a bênção paterna a Jacó, o filho mais novo, e não a Esaú. Isso era contrário à prática comum, porém Isaque já sabia que Deus não estava preso a normas. Em outras famílias, a bênção incluía dinheiro e posição social, mas para a família de Isaque significava muito mais: a bênção era a transferência das promessas que Deus fizera a Abraão (GN 12:01-03). Os descendentes do filho que Isaque abençoasse tornar-se-iam a nação pela qual Deus abençoaria o mundo. Deus já havia sinalizado que Jacó fora o escolhido, no entanto Isaque preferia Esaú (GN 25:28) e pretendia abençoá-lo no lugar de Jacó.

Há três objeções à decisão de Isaque. Primeira: contrariava uma ordem específica de Deus (v. 23). Tal fato encerra qualquer discussão  a não ser que a pessoa não leve isso em conta. Segunda: sua mulher opunha-se a essa decisão. Ele decidiu ignorar a opinião dela, mesmo sabendo que a razão estava com ela. Terceira: Esaú já havia demonstrado irresponsabilidade ao trocar seu direito de primogenitura por um insignificante guisado de lentilhas (v. 34). Poderia ser confiado a tal homem o cumprimento da importante aliança que Deus fizera com Abraão?

Isaque liderava a família, mas era um líder medíocre. Uma das grandes tragédias da liderança medíocre são as consequências desagradáveis para os liderados. A atitude inconveniente de Isaque pressionou todos os membros da família ao comportamento contraproducente. Rebeca tornou-se ardilosa maquinadora para alcançar o que sabia ser correto. Jacó mentiu e executou uma farsa horrível contra o pai cego para conseguir o que queria. Esaú estava determinado a recuperar sua herança, não obstante havê-la negligenciado.

Assim, Isaque, com seus valores distorcidos, criou uma família disfuncional constituída de pessoas que maquinavam o mal e faziam uso da mentira para alcançar seus propósitos. Como ser humano, Isaque inevitavelmente iria trabalhar para alcançar seus ideais  mas poderia ter "ajustado" seus valores.
Como líder, você já ajustou seus valores para que estejam de fato em sintonia com o que é melhor segundo a perspectiva de Deus? Não importa a organização que você lidere, não cometa o erro que Isaque cometeu e incentive seus liderados a "funcionar" apesar de suas falhas.


Em Cristo,
Itamar Carrijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário