quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Personagens Bíblicos: 006 - Abraão

ABRAÃO

Todo líder precisa decidir, em algum momento de sua vida, se quer confiar em Deus ou não. Até o momento da decisão, sua fé em Deus será uma fonte conveniente de conforto e encorajamento. Mas o teste de Deus pode conter exigências aparentemente absurdas. A provação forçará o líder ou a seguir o raciocínio humano e abandonar a orientação divina, ou abandonar o raciocínio humano e seguir a orientação de Deus. Esse tipo de teste não tolera concessões: o líder tem que optar entre seu caminho e o caminho de Deus.

Abrão (mais tarde chamado de Abraão), enfrentou muitas provas desse tipo. Quando tinha setenta e cinco anos, Deus pediu-lhe que saísse de sua casa, que deixasse para traz a casa de seu pai, sua terra e seus amigos e vizinhos. Deus ordenou-lhe que abandonasse o conforto de Ur e viajasse sem roteiro definido para a terra que lhe mostraria (Gn 12:01). Com a ordem, veio também a promessa de muitos descendentes e a oportunidade de ser benção para todo o mundo por meio dessa descendência. Sem a mínima hesitação, Abrão obedeceu.

Deus conduziu Abrão e sua família para a terra à qual os havia chamado, porém tardou em cumprir a segunda promessa. Quando Isaque finalmente nasceu, Abraão estava com cem anos de idade, e sua esposa, Sara, com noventa.

Muitos anos depois, Deus fez outro pedido a seu servo. Dessa vez, no entanto, conduziu Abraão ao inimaginável – sacrificar o próprio filho, Isaque. À primeira vista, tal ordem parece proceder de um desequilibrado. Mesmo assim, Abraão obedeceu. Por que? Porque ele cria que, se oferecesse o filho no altar, Deus, de alguma forma ressuscitaria o menino (Hb 11:19). Deus já havia permitido que Sara gerasse Isaque em idade avançada. Se Ele era capaz de produzir vida nova de corpos velhos, como os de Abraão e Sara, poderia também devolver a vida a Isaque.

Sabemos que Abraão não chegou a cravar a faca no peito do filho. Em vez disso, Deus providenciou um carneiro para o sacrifício (v. 13). Por que então o Senhor permitiu que Abraão construísse o altar, amarrasse o menino e o colocasse sobre o altar? Para testar a fé de seu servo. Deus queria saber se Abraão iria sujeitar-se à vontade divina, mesmo contrariando a lógica humana. Queria saber se Abraão confiaria nEle, quando a pessoa que mais amava estava envolvida. Como é de nosso conhecimento, Abraão passou no teste. De fato, sua confiança em Deus levou o apóstolo Paulo a chamá-lo “homem de fé” (GL 03:09).

Admirar a fé do patriarca Abraão é uma coisa. Imitá-la é algo bem diferente. Seguir seus passos significa ouvir a orientação de Deus. Na mente de Abraão, estava claro o que Deus queria que ele fizesse. Os lideres de hoje precisam aprender a ouvir a orientação de Deus na leitura da Bíblia e na oração. Quanto ao aspecto moral, a instrução de Deus é geralmente muito clara. Ele nos diz o que devemos fazer – para começar, devemos amá-Lo, amar o próximo e honrar os pais. Perceber a orientação divina em outras áreas nem sempre é fácil e pode exigir muita oração. Mas o líder que busca a orientação divina exercita-se na disciplina necessária para sintonizar-se com a vontade de Deus.

Uma vez convictos da direção de Deus, enfrentamos o verdadeiro teste. Como Abraão, devemos seguir imediatamente Suas orientações. Quando Deus ordenou a Abrão que deixasse sua terra natal, ele a deixou (Gn 12:01-04). Quando Deus exigiu o sacrifício de Isaque, Abraão obedeceu (v. 02,03). Qual o segredo do patriarca? A convicção de que o propósito de Deus para sua vida, fosse qual fosse, seria sempre melhor que qualquer plano que ele, Abraão, pudesse conceber.

Nossas ações, mais que nossas palavras, revelam o que cremos a respeito de Deus. Abraão demonstrou sua fé em Deus por meio de suas ações. E você? Também quer fazer isso?


Em Cristo,
Itamar Carrijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário