domingo, 25 de outubro de 2009

Você está curado, em nome de Jesus

"Curem os doentes que ali houver e digam-lhes: O Reino de Deus está próximo de vocês. "(Lucas 10:09)

Nesse pequeno versiculo, numa simples exegese, consigo extrair a lição seguinte: Está escrito: "Curem os doentes que ali houver ". Texto de Jeferson Queiroz

Porém em momento algum, nem nesse nem no versiculo texto diz: "só curem os que tem fé" ou "só curem os que derem alto dízimo" ou "somente curem aqueles que chegam cedo na igreja" ou "somente curem os que oram das 18:00 as 19:00 antes do começo do culto ".

Curem os doentes que ali houver. Só isso. É dificil? Então porque será que muitos usam e abusam? Falta de louvor? Aproveitam isso para iludir as pessoas que não leem a biblia com frequencia?

As alegrias, bem como as tristezas, foram numerosas e intensas. Surpreendi-me com ressurreições e chorei mortes; dancei nos salões da felicidade, pulei na presença de Deus, falei em linguas estranhas e arrastei-me nos charcos do desgosto, abri os braços para acolher quem voltava e, impotente, vi as costas de quem partia. "Curem os doentes que ali houver". Só isso.

Acreditei piamente que uma igreja que me rodeava era "A Igreja de Jesus". Por anos, dei-me completamente a uma versão do cristianismo que eu percebia como única, a mais verdadeira, a melhor de todos os tempos. Iludido com essa versão, não notei os ciúmes, as maldades, as invejas, que motivavam os jogos políticos e as promessas feitas em nome de jesuses cristos.

SIM. Os bancos da maioria das igrejas estão entulhados de cadáveres de gente esfaqueada pelas costas, que acreditou em promessas mirabolantes feitas sob ameaças de altos dízimos e ofertas. A história não omite: os corredores das Catedrais comportam verdugos e facínoras sequiosos de subirem as hierarquias organizacionais.

De repente, veio a desilusão. As vendas caíram dos olhos e notei o tamanho de minhas fantasias religiosas. Acontece que uma pessoa desiludida nunca mais volta a se iludir. E nesse processo, fui obrigado a separar os desencantamentos das desilusões. Pois, ao contrário dos desiludidos, os desencantados podem reencantar-se novamente.

Andei desencantado com a missão, vocação e devoção que me deram na igreja. Aquilo serviu apenas para me tornar famoso do jeito que queriam eles, pessoas que só pensam em gravar CD's e DVD's com mensagens que fazem rir com promesas de falsa riqueza. Mas jamais perdi o que inicialmente não me deslumbrou no evangelho. Continuo absolutamente fascinado com a vida de Jesus de Nazaré. E volto a maravilhar-me cada vez que leio sobre Seu caráter, Sua ternura para com os desvalidos e Seu perdão para os pecadores. Sua doação na cruz, Sua morte exemplar e a Sua ressurreição triunfante não permitem desencantos.

Nas coisas que me desiludi, não contemplo retorno, mas sei que os meus sonhos voltam a se colorir. Neste momento, responderei com novo alento: "Senhor, eis-me aqui, envia-me a mim". Envia-me para "Curar os doentes que pairam ali", sem interesse financeiro, apenas com uma simples palavra de Jesus Cristo. "Você está curado, levanta e anda".

Em Cristo,
Itamar Carrijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário